Meu perfil
BRASIL, Sul, MARINGA, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese



Arquivos
 01/08/2010 a 15/08/2010
 16/07/2010 a 31/07/2010
 01/07/2010 a 15/07/2010
 16/06/2010 a 30/06/2010
 16/12/2009 a 31/12/2009
 01/12/2009 a 15/12/2009
 16/11/2009 a 30/11/2009
 01/11/2009 a 15/11/2009
 16/10/2009 a 31/10/2009
 01/10/2009 a 15/10/2009
 16/09/2009 a 30/09/2009
 01/09/2009 a 15/09/2009
 16/08/2009 a 31/08/2009
 01/08/2009 a 15/08/2009
 16/07/2009 a 31/07/2009
 01/07/2009 a 15/07/2009
 16/06/2009 a 30/06/2009
 01/06/2009 a 15/06/2009
 16/05/2009 a 31/05/2009
 01/05/2009 a 15/05/2009
 16/04/2009 a 30/04/2009
 01/04/2009 a 15/04/2009
 16/03/2009 a 31/03/2009
 01/03/2009 a 15/03/2009
 16/02/2009 a 28/02/2009
 01/02/2009 a 15/02/2009
 16/01/2009 a 31/01/2009
 01/01/2009 a 15/01/2009
 16/12/2008 a 31/12/2008
 01/12/2008 a 15/12/2008
 16/11/2008 a 30/11/2008
 01/11/2008 a 15/11/2008
 16/10/2008 a 31/10/2008
 01/10/2008 a 15/10/2008
 16/09/2008 a 30/09/2008
 01/09/2008 a 15/09/2008
 16/08/2008 a 31/08/2008
 01/08/2008 a 15/08/2008
 16/07/2008 a 31/07/2008
 01/07/2008 a 15/07/2008
 16/06/2008 a 30/06/2008
 01/06/2008 a 15/06/2008
 16/05/2008 a 31/05/2008
 01/05/2008 a 15/05/2008
 16/04/2008 a 30/04/2008
 01/04/2008 a 15/04/2008
 16/03/2008 a 31/03/2008
 01/03/2008 a 15/03/2008
 16/02/2008 a 29/02/2008
 01/02/2008 a 15/02/2008
 16/01/2008 a 31/01/2008
 01/01/2008 a 15/01/2008
 16/12/2007 a 31/12/2007
 01/12/2007 a 15/12/2007
 16/11/2007 a 30/11/2007
 01/11/2007 a 15/11/2007
 16/10/2007 a 31/10/2007
 01/10/2007 a 15/10/2007
 16/09/2007 a 30/09/2007
 01/09/2007 a 15/09/2007
 16/08/2007 a 31/08/2007
 01/08/2007 a 15/08/2007
 16/07/2007 a 31/07/2007
 01/07/2007 a 15/07/2007
 16/06/2007 a 30/06/2007
 01/06/2007 a 15/06/2007
 16/05/2007 a 31/05/2007
 01/05/2007 a 15/05/2007
 16/04/2007 a 30/04/2007
 01/04/2007 a 15/04/2007
 16/03/2007 a 31/03/2007
 01/03/2007 a 15/03/2007
 16/02/2007 a 28/02/2007
 01/02/2007 a 15/02/2007
 16/01/2007 a 31/01/2007
 01/01/2007 a 15/01/2007
 16/12/2006 a 31/12/2006
 01/12/2006 a 15/12/2006
 16/11/2006 a 30/11/2006
 01/11/2006 a 15/11/2006
 16/10/2006 a 31/10/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Zaniratti (política no cotidiano)
 Angelo Rigon
 Portal Estacao 13
 Ministério do Meio Ambiente
 Ibama
 João da Caixa
 historias ambientais
 Joka Madruga
 blog fonte do maracajá
 Blog do Valdeci
 Blog do Rubem Mariano
 Blog do Pegoraro
 Blog do Carlos Giovanni
 Blog da Lucimar
 Projeto EA/UEM




Blog do Marino
 


google

 

DIA DAS MÃES - DIA DA MÃE NATUREZA

Livro: Saber Cuidar

Leonardo Boff

 

A Terra não gera apenas os seres humanos.

Concebemo-la como Mãe generosa.

Da mesma forma que a Mãe-Terra gera e entrega à vida, ela também tudo acolhe e tudo recolhe em seu seio. Ao morrermos voltamos à Mãe-Terra. Regressamos ao seu útero generoso e fecundo.

Não se trata da morte definitiva; pela morte mudamos de estado para voltar a viver no mistério profundo da natureza, donde todos os serem vêm e para onde todos voltam.

 

 

Parabéns às Mães de todas as vidas.

Marino Elígio Gonçalves

 



Escrito por Marino às 10h42
[] [envie esta mensagem
]





greenpeace

DIA DAS MÃES - DIA DA MÃE NATUREZA

Assim como o Greenpeace que prestou sua homenagem à Mãe de todas as Mães, também aqui se reservará espaço para homenagear nossa Mãe Natureza e o nosso Planeta Terra. Se você achar interessante mande um texto, poesia, foto ou qualquer outra forma de manfestação em favor da vida, da Mãe Natureza.

Marino Elígio Gonçalves



Escrito por Marino às 09h54
[] [envie esta mensagem
]





Rosângela Argolo

DIA DO PLANETA TERRA

No mês de abril deste ano dediquei uma série de artigos e poesias sobre o Dia do Planeta Terra. Recebi muitas mensagens parabenizando a escolha. Dentre elas estava a da Rosângela Argolo, uma amiga especial e dedicada às questões da arte, da cultura e do meio ambiente. Achei muito sincera e significativa e então pedi a ela se me permitia publicá-la em meu blog. A resposta foi positiva. Assim, compartilho com vocês a Carta da Rô Argolo:

 

"Marino, vendo o teu blog me veio à mente uma recente viagem à Ilha de Itaparica e Morro de São Paulo, ambos na Bahia. Estando por lá tive a oportunidade de ouvir bastante o som das águas do mar um pouco afastada do burburinho das cidades. Foi fantástico! Lá fiz uma viagem de volta no tempo e lembrei quando ouvi as ondas pela primeira vez. Permita partilhar um pouco com você parte da minha história de menina interiorana ao chegar à cidade grande.

 

Meu pai trabalhava no Ministério da Agricultura com culturas experimentais de laranjas e outros frutos. Mudávamos muito de cidade e eu (meus irmãos também) achava isso bom demais. Pensa só na mudança em carroceria de caminhão. Era uma festa só. Minha mãe é que não curtia muito todo o trabalho que decorria de uma mudança. Mudávamos sempre de uma cidade do interior para outra. Numa dessas mudamos para a capital. Aracaju. Oba! Tudo novo, tudo grande e bonito. Diferente pra caramba!

 

Na ocasião ver as ruas e avenidas e o mercado central de Aracaju, para mim era o máximo. Mas uma surpresa me esperava. O mar. Ah! O mar. Grande demais cara! Foi um susto só. Pensa só na minha expressão ao ver tanta água. E mais, se mexendo e se revirando num som altíssimo. Eu nunca tinha visto aquilo. O som das ondas ao revirar-se e entregar-se às areias era demais para os meus ouvidos desacostumados com aquela mágica. Jamais esquecerei daquele momento. Fiquei parada por minutos olhando toda aquela grandiosidade, não lembro se chorei, lembro do coração apertado por um tempos de tão pequena que me senti.

 

Hoje trabalho com Educação Ambiental com populações litorâneas – pescadores e pescadoras – que se aventuram lançando redes por sobre jangadas e barcos. Num desses dias, aqui no litoral de Sergipe, numa praia chamada Praia do Saco fiquei a olhar os pescadores atirando redes. Era 5 horas da tarde, o vento batia forte e o mar continuava o seu bailado num interminável vai e vem espumante enquanto o sol se escondia atrás de mim. Arrepiei e viajei no tempo para o momento que vi o mar pela primeira vez. É... Esse planeta é emoção pura.

Abração. 

Rosângela Argolo."



Escrito por Marino às 16h32
[] [envie esta mensagem
]





PERDÃO AOS SÃO PAULINOS, AOS PALMEIRENSES, AOS CORINTHIANOS

E AOS DEMAIS TORCEDORES DE OUTROS TIMES...

 

É MUITA EMOÇÃO!

 

SANTOS BI-CAMPEÃO!

 

Agora quem dá bola é o Santos,

O Santos é o novo campeão...

 

VIVA O SANTOS

VIVA OS SANTISTAS.

 

Marino Elígio Gonçalves



Escrito por Marino às 08h24
[] [envie esta mensagem
]





Dr. Marcus Barros e Ministra Marina Silva/Ibama

 

MUDANÇAS NO IBAMA

 

O Presidente do IBAMA, Dr. Marcus Barros, divulga carta de despedida em que relata as motivações para a sua saída, o desejo de reassumir suas atividades de pesquisa e acadêmica e reforça a competência e compromisso dos servidores do IBAMA.  A carta está dividida em parte 1 e parte 2.

 

 

Carta de Despedida do Presidente do Ibama – Parte 1

 

Deixo aos perfeitos as máscaras. Eu, por minha vez, não as carrego. Sou o que sou. Minha diferença com os perfeitos é que, se percebo minhas qualidades, me regozijo, mas não me inflamo, e, se vejo meus defeitos, não os procuro menosprezar, mas me aperfeiçoar. O que é meu não é meu. Pertence a mim no momento do pertencimento e, no próximo momento, já é meu outro pertence, e o antigo se foi. É meu apenas a alma e meus julgamentos. Estes, se não foram dados a outrem, eis que não pretendo abrir-me completamente, apenas deixar entrever. A entrega ao Ibama foi completa, pois cheia de amor e envolvimento.

Meus olhos faíscam leis de discernimento, ousadia e determinação. Missão cumprida, diriam. Outra a começar, digo, rumo ao devir. E, se a árvore mora na semente, plantei sementes boas em terreno fértil.

 

Não poderia despedir-me sem antes dirigir-me a todos vocês, que conquistamos, por meio da competência e da luta diária, para o meio ambiente, o que conseguimos alcançar. Não pretendo, aqui, fazer um balanço do que fizemos, que pode ser lido integralmente no Balanço de Gestão 2003/2006. Já sabemos do Sisbio, do DOF, da atuação efetiva do Conselho Gestor, das operações de combate à corrupção, da criação de Unidades de Conservação, dos ganhos em termos salariais e de número de servidores, do aumento no número e qualidade de licenciamentos e do plano de combate ao desmatamento, da ampliação do contato com a sociedade civil.

 

Fizemos um Ibama melhor do que o que assumi há quatro anos. Nesse meio tempo, a agenda sócio-ambiental entrou para a pauta nacional e mundial, e ninguém melhor do que nós para saber como fizemos bem a nossa parte. Cada um de nós tem uma importância estratégica e histórica neste momento que é o marco inicial de uma nova civilização. O que estamos construindo é de um impacto incomensurável, pois disso depende a nossa continuidade enquanto espécie humana. E nós, do Ibama, tivemos e temos um grande papel a desempenhar nessa mudança de mentalidade.

 

Antes de partir devo esclarecer, porém, alguns pontos que considero importantes. Quando aqui cheguei, por convite da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, vim com a missão de permanecer por um mandato. Essa seria minha cota de contribuição. Digo que parto com a tranqüilidade de quem cumpriu com o seu papel e o seu objetivo dentro da instituição da melhor maneira possível. Ouso dizer, ainda, sem medo de errar, que ninguém fica na presidência do Ibama por quatro anos se não for por absoluta competência. Esse tempo se esgotou ao final do ano passado, quando pedi à ministra minha exoneração. Outros deveres me chamavam e chamam: minhas atividades de pesquisa e acadêmicas que deixei estavam no momento de serem retomadas.

 

Saio por vontade.   (continua...)



Escrito por Marino às 15h40
[] [envie esta mensagem
]





Dr. Marcus Barros/google

Carta de Despedida do Presidente do Ibama – Parte 2

 

Por solicitação expressa da ministra, fiquei. E tenho ficado desde então, num lento compasso de espera, pois, também, nunca abandonei um barco enquanto estive à sua frente. Fiquei para esperar o próximo comandante do Ibama e passar-lhe em mãos nossas atividades, o que está muito próximo de ocorrer. Foi um tempo considerável, onde nunca deixei de cumprir com minhas obrigações e responsabilidades. Como num cordel, segui o bicho, atei-lhe as ventas com um sopro longo e fui ligeiro mostrar a língua arrancada do diabo verde que roubava as donzelas e os velhos, as crianças e os tesouros dos homens crescidos. Meu bicho, daqui, eu afugentei. Os outros, agora, domarei em outros lugares.

 

Quero enfatizar minha insatisfação com o que a mídia vem declarando sobre nossos competentes técnicos do licenciamento. Em todos os momentos em que estive à frente deste instituto, dei total apoio à suas decisões, sempre baseadas em laudos técnicos, não políticos. As políticas, outros fazem, com mais competência, até. O licenciamento, fazemos nós. E, aquilo que é para ser licenciado, nós licenciamos. Eu sempre disse em minhas falas que aquilo que não pode ser licenciado vai ter que ser adequado, ou não será por nós aceito, e que a forma mais rápida de se obter um licenciamento é não fazer atalhos. Nós sempre cumprimos a nossa parte com ética, agilidade, integridade, competência e responsabilidade.

 

Tenho plena confiança na capacidade analítica e técnica de nossos profissionais. Com eles sei que se não houver qualidade técnica, não será aprovado. Com nossos profissionais, nossas florestas ficarão em pé, bem como tudo o que já construímos. Não acredito no desenvolvimento a qualquer custo, mas no desenvolvimento pensado a longo prazo. Cabe lembrar, agora, um ditado dos índios americanos: “Nós não herdamos a terra de nossos pais. Nós a emprestamos de nossos filhos”. O desenvolvimento tem que ser sustentável e prever que haverá recursos para as próximas gerações. Em meu caminho, hoje, fundem-se estrada e viajante. Volto para Manaus com saudades do que aqui deixei e construí, mas com vontade de seguir em frente. A todos vocês que ficam, meu eterno carinho e atenção. Continuarei minha luta pelo meio ambiente em outra frente de batalha, não menos importante, mas em outro campo. Aprendi muito com vocês. Obrigado pela oportunidade e convivência.

 

Marcus Barros

Ex-Presidente do Ibama



Escrito por Marino às 15h36
[] [envie esta mensagem
]





montiel          capobianco          bazileu / google

MARINA APRESENTA OS MEMBROS DAS DIRETORIAS DO IBAMA E DO INSTITUTO CHICO MENDES

 

A Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, divulgou alguns nomes que comporão a diretoria de ambos os institutos. São eles:

 

Instituto Chico Mendes

João Paulo Capobianco - Secretário Executivo do MMA e presidente interino do Instituto Chico Mendes;

Rômulo José Fernandes Barreto Mello (Ibama) - Diretor de Conservação da Biodiversidade;

Marcelo Françoso (Ibama) - Diretor de Unidades de Conservação de Proteção Integral;

Paulo Oliveira (Ibama) - Diretor de Unidades de Conservação de Uso Sustentável e Populações Tradicionais;

Silvana Canuto - Diretora de Planejamento, Administração e Logística.

Ibama
Bazileu Alves Margarido Neto - Chefe de Gabinete da Ministra do Meio Ambiente Marina Silva; Diretor de Qualidade Ambiental e Presidente interino do Ibama.

Antônio Carlos Hummel (Permanece) - Diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e dos Recursos Florestais.

Flávio Montiel (Permanece) - Diretor de Proteção Ambiental;

José Augusto Martinez Lopes (Permanece) - Diretor de Planejamento, Administração e Logística.

Diretoria de Licenciamento Ambiental - o titular ainda será anunciado.

ASCOM



Escrito por Marino às 15h30
[] [envie esta mensagem
]





Ministra Marina Silva/google

 

MINISTRA MARINA SILVA CONTESTA AQUELES QUE CRITICAM AS MUDANÇAS NO IBAMA

 

O Ministério do Meio Ambiente divulgou hoje (03/05) entrevista com a Ministra Maria Silva ressaltando a importância das mudanças efetuadas no IBAMA e, principalmente, a criação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade:

  

Instituto Chico Mendes fortalece o setor ambiental, diz Marina

 

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou nesta quinta-feira (3), em Brasília, que a criação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade representa um reforço na política ambiental do governo. Durante entrevista coletiva concedida na sede do ministério, Marina explicou a necessidade de uma nova estrutura para gerir as unidades de conservação. "Em 19 anos prestando serviços ao país, o Ibama  já gerou o Jardim Botânico, a ANA (Agência Nacional de Águas), e o Serviço Florestal Brasileiro. Agora, o Instituto Chico Mendes. Isso só demonstra que o setor ambiental no país tem sido fortalecido do ponto-de-vista da gestão pública."

A entrevista foi concedida no mesmo dia em que começou a vigorar a Medida Provisória 366, publicada no Diário Oficial da União em 26 de abril, que cria o Instituto Chico Mendes. Também, na ocasião, a ministra anunciou o nome de Bazileu Alves Margarido Neto, seu atual chefe de gabinete, como diretor de Qualidade Ambiental do órgão e presidente interino do Ibama. Anunciou, ainda, que João Paulo Capobianco, atual secretário-executivo do MMA, será o presidente interino do Instituto Chico Mendes.

 

No final da manhã, a ministra reuniu-se com os superintendentes estaduais do Ibama, na sede da ANA, em Brasília. Na ocasião, foram esclarecidas as mudanças em curso no instituto. A ministra disse que a gestão ambiental será integrada, garantindo uma comunicação permanente com os dirigentes.

Marina afirmou que tanto Capobianco quanto Bazileu Margarido estão abertos para dialogar com os servidores do Ibama. "Queremos que eles compreendam que esse processo foi pensado e amadurecido visando justamente dar uma resposta ao imenso desafio que temos num país como o Brasil", disse. "Temos 60 milhões de hectares de unidades de conservação. É uma área maior do que a França. Não se pode cuidar de tudo isso com apenas uma diretoria. A estrutura do Ibama era suficiente no começo, mas nos últimos dez anos as atribuições cresceram muito. O que estamos fazendo é um aperfeiçoamento e uma atualização das necessidades existentes", explicou. ASCOM



Escrito por Marino às 14h53
[] [envie esta mensagem
]





Logo Ibama: Ibama/google

 

MUDANÇA NO IBAMA GERA CONFLITO COM SERVIDORES

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, divulgou a nova estrutura do Ministério do Meio Ambiente e das instituições coligadas, como no caso do IBAMA. O ato se deu por intermédio da Medida Provisória n.º 366/2007, de 26 de abril de 2007. Em relação ao IBAMA a repercussão foi imediata entre os servidores da casa que não concordam com a mudança efetuada. Veja a íntegra da carta aberta elaborada pela associação que representa os servidores do IBAMA: 

 

Marino Elígio Gonçalves

 

CARTA ABERTA AOS PARLAMENTARES E AO POVO BRASILEIRO

A reforma na estrutura administrativa do Ministério do Meio Ambiente, implementada pela Medida Provisória nº 366/07, de 26/04/07, atinge mortalmente o IBAMA enquanto órgão responsável pela execução da Política Nacional de Meio Ambiente. Cria o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, nome novo para um projeto antigo, e retira da esfera do IBAMA a gestão e o controle de todas as áreas protegidas do País e sua biodiversidade.

A forma de condução desse processo, reivindicado pela Senhora Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva preocupa os servidores do IBAMA e todos os setores da sociedade que têm compromisso com uma gestão ambiental pública e integrada, dada a presença, no MMA, em cargos estratégicos, de pessoas fortemente identificados com interesses de ONGs/OSCIPs que, em passado recente, reivindicavam a gestão das Unidades de Conservação Federais, particularmente as mais rentáveis.

A nova estrutura para a gestão ambiental proposta na Medida Provisória divide arbitrariamente as atribuições do IBAMA: de um lado, a gestão das Unidades de Conservação, com os Centros Especializados voltados à pesquisa, proteção e manejo da biodiversidade. De outro, o Licenciamento Ambiental, o controle da qualidade ambiental, a autorização de uso dos recursos naturais e a fiscalização. Transfere, de maneira autoritária e imperativa, todos os já escassos recursos materiais e humanos de que dispõe o Instituto, inclusive seus servidores, que sequer tiveram condições de opinar, surpreendidos que foram com a edição da Medida Provisória, além de aumentar as necessidades de gastos financeiros para a manutenção de estruturas paralelas.

O açodamento com que foi elaborada a MP evidencia-se à partir de uma leitura mais acurada da mesma. Atividades vitais do Instituto, como a fiscalização, educação ambiental, administração e outras correm riscos de serem duplicadas ou, pior: terceirizadas. A educação ambiental, por exemplo, permanece enquanto finalidade dos dois Institutos. No entanto, não aparece na estrutura organizacional de ambos, o que nos leva a crer, fortemente na hipótese de terceirização desta atividade. A atividade de fiscalização, da mesma forma, aparece nas duas estruturas, sem que haja, no curto prazo, nenhuma perspectiva de ampliação do número de fiscais, o que leva a acreditar que tais atividades serão  repassadas para as polícias locais.

O licenciamento ambiental federal, pano de fundo desse ataque ao IBAMA vem sendo objeto de críticas e ataques perpetrados por setores do Governo e da iniciativa privada. Os servidores do IBAMA vêm de público esclarecer que o Instituto NÃO É RESPONSÁVEL pela demora na concessão das licenças, até mesmo porque existem prazos fixados em legislação. As demoras imputadas ao IBAMA ocorrem, principalmente, pelo não cumprimento das condicionantes exigidas em Lei, por parte dos empreendedores. Em que pese o interesse econômico do empreendedor, o IBAMA tem que avaliar com o mesmo compromisso e seriedade, as demandas sociais e culturais, além de atender as exigências dos órgãos de controle, aos interesses do cidadão e às demandas judiciais.

Os servidores do IBAMA reconhecem a necessidade de um crescimento econômico voltado para a inclusão social com distribuição de renda e qualidade de vida para a população, no entanto, este não pode se dar em detrimento da questão ambiental. É esta a nossa razão de ser. A nosso ver, a implementação de medidas casuísticas que visem a aprovação de empreendimentos, de forma açodada e arbitrária, pode ter um custo altíssimo para os segmentos mais frágeis da sociedade brasileira. Neste sentido, a responsabilidade do IBAMA se agiganta.  Assim, nos posicionamos contra qualquer medida que signifique a fragmentação dos instrumentos ambientais e que comprometam os princípios que norteiam a gestão integrada do meio ambiente.

Brasília, 03 de maio de 2007.

PELA UNICIDADE DA GESTÃO AMBIENTAL
PELA INTEGRIDADE E FORTALECIMENTO DO IBAMA
PELA DERRUBADA DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 366/07

ASIBAMA NACIONAL       ASIBAMA-DF       SINDSEP-DF
DENTMA/CONDSEF
Fonte: www.asibama.org.br



Escrito por Marino às 09h51
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]